7:45 às 11:45 e 13:00 às 17:00    
 (55) 3792 1102/1060


capa audiencia

Na sexta-feira, 10 de novembro, foi realizada  uma Audiência Pública que tratou do impacto da crise do leite, e o seu baixo valor no mercado, nos municípios do Rio Grande do Sul. O evento aconteceu no Salão Paroquial de Pinheirinho do Vale estiveram presentes: produtores de leite do município e da região, técnicos da área, lideranças de empresas, representantes do comércio, cooperativas, entidades e políticos das mais diversas esferas. Promovida pela Comissão de Assuntos Municipais da Assembleia Legislativa em parceria com o Poder Executivo de Pinheirinho do Vale, Emater/RS-Ascar, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, URI, APROLEITE e demais entidades como Famurs, Amzop e Sindilat.

O evento contou com pronunciamentos de inúmeras  autoridades como: o prefeito municipal de Pinheirnho do Vale, Elton Tatto, deputado estadual Eduardo Loureiro que conduziu o evento, presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Edegar Pretto, coordenador da 10ª Coordenadoria Regional da Agricultura, Joel Rubert,  gerente-adjunto do escritório regional da Emater/RS de Frederico Westphalen, Mario Coelho da Silva,  presidente da Famurs, Salmo Dias de Oliveira,  deputada estadual Zilá Breitenbach,  presidente da Amzop, Ezequiel Pasquetti,  deputado federal Pompeo de Mattos, ex-deputado federal Vilson Covatti e prefeitos da região.

Com o objetivo de buscar condições dignas de produção e comercialização do leite, o prefeito Elton Tatto muito se empenhou para trazer esse evento de discussão e busca de alternativas para Pinherinho do Vale. O município produz em torno de 12 milhões de litros de leite por ano, sendo que dos 430 produtores de leite, em torno de 250 famílias a renda é exclusivamente da produção de leite com um plantel de 4989 vacas,  representa  12,55% da produção primária, ocupa a segunda posição no ranking da produção econômica do município, baseado na mão de obra familiar gera em torno de 800 empregos diretos e indiretos.

Para o prefeito Elton Tatto, esse é o momentos  de unir forças, onde cada setor, cada elo da cadeia produtiva faça sua parte. É fundamental que o governo tenha um projeto claro, forte e confiável para a agricultura familiar, onde a atividade leiteira deve aparecer com destaque. “Nossos agricultores não são acomodados e muito menos se escondem nos momentos de dificuldades, mas sim buscam alternativas viáveis para superar as adversidades. Investem em genética, novas tecnologias, pastagens entre outros investimentos realizados permanentemente no melhoramento da produção.”

Na oportunidade foi entregue às autoridades, uma carta aberta sobre a crise que afeta a cadeia produtiva do leite na região noroeste do Rio Grande do Sul.      Esta carta tem como objetivo defender a importância socioeconômica da produção de leite para as famílias de agricultores familiares, bem como para economia dos municípios e da região, em decorrência da dinâmica financeira que possuem. Essa crise vem se agravando, gerando insegurança, endividamento, desemprego e êxodo rural, especialmente dos mais jovens.

Segundo o deputado estadual, Eduardo Loureiro, as opiniões, sugestões e apontamentos realizados durante a audiência pública foram registrados em ata e levados até as autoridades competentes, por meio da Assembleia Legislativa, buscando a solução, ou amenização, do problema vivenciado pelo setor leiteiro.